O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

12/18/2006

Nem sei porque me lembrei disso agora...



Me lembrei de um fato emocionante na minha vida, muito simples, mas muito significativo. Era um programa na Tv sobre relacionamentos ou o assunto era esse e tinha alguém participando pelo telefone... A questão foi:

- Mas e se uma velha desdentada e enrugada se apaixonasse por ti?!

Eis q a voz no telefone, sem pestanejar responde com uma segurança desbundante:

- Oras, eu serei um dia um velho desdentado e enrugado e espero me apaixonar por alguém assim...

Não satisfeita, a apresentadora fala debochando e rindo:

- Que nada, ai sim que tu irá querer um brotinho... nem vem, homem é tudo igual!!! Kkkkkkk!!!

Mas rápido ainda a voz responde calma e segura:

- Pra que eu ia querer um brotinho? Pra sentir nojo de mim como tu demonstra aí agora?! Claro que eu ia preferir minha velha desdentada.

Não vi a cara do cara, mas nunca mais esqueci a voz dele, ficou guardada na minha cabeça como a voz de um grande herói... Um real representante dos homens de verdade.

12/17/2006

Auto Sustentável



Eu já fui muito elegante, eu já escutei o Art of Noise - único momento da vida de um ser humano onde ele pode posar, pois a foto sairá bem!!!




É...






Muito elegante...






Por isso não, estou escutando de NOVO!!! RÁ!!! Num fode!!! Muito ELEGANTE!!!!








É isso...






Opus, lá vem o flesh!!!!!

12/14/2006

Punhal de Prata
Alceu Valença



Eu sempre andei descalço no encalço dessa menina
E a sola dos meus passos tem a pele muito fina
Eu sempre olhei nos olhos bem no fundo, nas retinas
e a menina dos olhos me mata, me alucina


Eu sempre andei sozinho. A mão esquerda vazia
A mão direita fechada. Sem medo, por garantia
De encontrar quem me ama na hora que me odeia
com esse punhal de prata brilhando na Lua cheia


Mas eu não quero viver cruzando os braços
Nem ser Cristo na tela de um cinema
Não quero ser pasto de feras numa arena
Neste circo, eu prefiro ser palhaço!


Eu só quero uma cama pro cançasso
Não me causa temor ou pesadelo
Tenho mapas e rotas e novelos
pra sair de profundos labirintos
Sou de ferro, de granito
Grito aflito na rua do sossêgo!
Sossêgo!


Mas na verdade é mentira
Sou resto, sou a sobra, no copo, sou sobejo
Sou migalhas na mesa, sou desprezo
Eu não quero estar longe, nem estou perto
Eu só quero durmir de olho aberto
Minha casa é um cofre sem degredo
meu quarto é sem portas ... tenho medo!
Quando falo, lhes digo, calo e minto
Sou de ferro, de aço e de granito
Grito aflito na rua do sossêgo!
Sossêgo!


O que prende demais minha atenção
é um touro raivoso na arena,
uma pulga, do jeito que é pequena
dominar a bravura de um leão!
Na picada, ele muda a posição
pra coçar-se depressa, com certeza.
Não se serve da unha, nem da presa
Se levanta da cama e fica em pé
Tudo provando como é
poderosa e suprema a natureza!


Eu desconfio dos cabelos longos de sua cabeça
se você deixou crescer de um ano pra cá!
Eu desconfio, no sentido extrito!
Eu desconfio, no sentido lato!
Eu desconfio dos cabelos longos,
e deconfio do Diabo à quatro, do Diabo à quatro, do diabo à quatro!


êh, êh, êh
Indio quer apito
Se não der, pau vai comer!

12/11/2006

O Realejo



"O Realejo é mais uma ousadia do grupo Bagaceira, que opta, desta vez, por um espetáculo de extrema delicadeza e poesia. O clima pode ser traduzido pelos elementos que permeiam a estória: cidade pequena, pracinha, pôr-do-sol, amor proibido, mar e, claro, realejo. A bela Marina é prometida em casamento, por seus pais, ao homem mais afortunado e poderoso da região. Vê, porém crescer sua paixão por um jovem rapaz,gerando assim a aflição e o início de uma íntima desordem que poderá tirar a quietude daquela cidadepacata... "



Clique aqui e continue a ler LINDO DE MAIS!!!


“Não acredito em bobagens
Destino pertence a Deus
Não vejo tantas vantagens
Em ver além do que meus
Olhos já podem enxergar
É uma crendice, esse realejo
Não passa de um gracejo
Feito para nos enganar”


12/09/2006

Cuiabá!!! E suas Modinhas



"endondon, endondon, eu bato meu pé no chao....
indondon, indondon, eu bato meu pé no chao...
andorinha do cu branco, picapau do cu vermelho.....
menina levanta a saia q ja vou com o trem no meio,........" - Contribuição de C.

12/07/2006

Bonito de Mais!!!



Era algo mais ou menos assim:

Porque, me diz por que, não poderemos voar um pouco mais, essa noite?
E vê se não chora, quando eu disser o que farei...
Tempos, velhos tempos, dêem-me os velhos tempos nessa noite...

Aí, tudo parece uma dança com rosto coladinho, mas nada lento... entende? Entende?!?!

Porque, me diz por que, não poderemos voar um pouco mais, essa noite?
E porque tu não sorri, quando eu digo que te amo?!
Tempos, velhos tempos, dêem-me os velhos tempos nessa noite...

Aí tudo vai emudecendo como um entardecer, longo, doce, tristinho - como se tu não tivesse ali... Mas estávamos dançando!!!

Porque tu não sorriu quando eu disse que te amava...

Dê-me mais tempo, essa noite!?!

Não é bonito de mais!?!

Respira de novo...



A linha do tempo
Passou atrás de mim
Virou assim no vento
Cortou o meu tormento
Serenou...

O grande sonho do meu beijo na tempora do lagarto aconteceu.

Sinto muito,
Sinto mesmo
Tenho medo
Mas é preciso
Vou correndo
Direto
Para o Mato

Vou parar
De morrer...

o sonho voltou forte, junto com a música e o chamado... algo estorou meu coração que deixou de ser gelado...

Vou parar de morrer
A seu lado...

Minha mesmo.

12/04/2006

=/



O homem espectro. diz:
Teve bolo?
Pato 41 anos!!! diz:
Nada disso, fui pra rua beber...
O homem espectro. diz:
Não comeram o seu bolo?!
Pato 41 anos!!! diz:
Não... dessa vez não... deve ser pq ta muito velho. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
O homem espectro. diz:
kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Pato 41 anos!!! diz:
Ninguém quis comer meu bolo esse ano, foda, deu ate depressão agora, kkkkkkkkkkkkk

Isso é pr'eu aprender!!! Bem feito!!!

12/03/2006

Que Meda!!!



Olha, eu não sei se o povo que entra aqui nessa casa vazia assiste Raul Gil, mas eu vejo e te digo, acho um programa jóia pra domingo! Divertido mesmo, só música mesmo, coisa brega, coisa pop, coisa chata até, mas sempre música. Um programa doido, porque é tranqüilo mesmo e se tu começa a ver, tu vai embora, sem babaquices, sem baixarias.

Enfim, mas sempre o Raul Gil promove uns cabrons e unas chicas lá que são bem engraçados. A tal da Gislene me mata de rir!!! Só que eu não consigo deixar de me matar de medo a tal da dupla caipira de Mato Grosso. Os guris magricelas, cada vez mais enfeitados pela produção do programa, quando aquele guri abre a boca pra canta, saí aquela voz do inferno, a voz que todo cantor de música gótica (os darquinhos) adorariam ter, nossa, eu morro de medo!!!

Como aquele guri conseguiu aquela voz? Ele é um fiapinho de gente!!! Da um medo da porra!!!

Tenho medo dessa dupla caipira e acho, francamente, que se esses guris realmente conseguirem não se dobrar pelas "exigências" do idiota do mercado fonográfico retardado mental brasileiro, eles serão o que de melhor já foi feito na canção regional, popular desse país.

Morro de medo, mas adoro, aí... um dia comprarei o CD dos cabrons!!!

12/01/2006

Fuuuuuuuuuu...




A velinha apagou sozinha
o vento trouxe o pedido
o sonho acordou o monstro
a dança saldou a Deusa

O triste emudeceu
O belo recriou
O amargo dissolveu
O escuro choveu

A velinha apagou sozinha
E não havia nada embaixo dela
Mas muita luz
refletida na janela

Feliz Aniversário,
Eu me disse
Compreendendo perfeitamente
O que isso significa.