O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

3/29/2006

EROTI "K" en Rêve



Simplesmente du caralho!!!



Pois sim, lembrei de uma época distante pacas, onde eu era estudante e tinha um amigo que era o cara mais lindo da escola mesmo. O cara era invejado e tinha uma legião de gurias pra ele comer, era como um supermercado à vida dele, era só escolher e levar. E ele era bem legal, o guri, muito engraçado e super feliz sempre, vivia com um sorriso cheio de dentes brancos e saudáveis no meio da cara, uma cara larga, com nariz grego, olhos escuros, pescoço largo, cabelos mel e cacheados, um super corpão de surfboy.

Isso tudo é du caralho mesmo!!!



Bem, esse cara andava meio que grudado comigo na segunda série do segundo grau, sentávamos juntos e ele tinha uma mania, ele adorava me contar os sonhos eróticos dele. Agora, o que era mais incrível, ele tinha sonhos eróticos todos os dias!!!

Eu passava a primeira aula com esse o cara sussurrando atrás de mim o que estava acontecendo com ele quando estava dormindo, nos seus sonhos - estudávamos de manhã - e o que era mais engraçado é que as histórias eram eróticas e não eram pornográficas... Todas as histórias seriam possíveis contar aqui, e por isso vou contar uma, não seria chocante e só excitariam as pessoas que curtisse imaginar - veja bem, o personagem das histórias eu descrevi aí encima... Agora é só tu viajar:

Ele acordou no meio da noite e ouviu um barulho na cozinha, que ficava no andar de baixo da casa. Era um barulho estranho, muito estranho mesmo... ele foi ate escada e viu uma luz no andar de baixo, na cozinha. Não era a luz da cozinha... Ele desceu apreensivo, achando ser um ladrão, ou coisa pior. E assim que chegou na cozinha viu o irmão dele fodendo com a maquina de espremer laranjas!!!

du caralho!! du caralho!! du caralho!!!



O cara tava pelado e enfiava o pau em algum lugar da maquina de laranja e se encurvava todo fazendo movimentos estranhos e grunhia como quem quisesse abafar os gemidos de prazer. Ele então sentiu um ciúme da maquina, e um ódio do irmão e os dois brigaram na cozinha como dois monstros japoneses!

Ele então consegui destruir o irmão, deixando ele desmaiado e fora de cena na mesa da cozinha, e ainda cansado, suado e fraco, foi até a maquina de laranja - segundo ele, uma maquina muito diferente do que eu imaginaria - e assim, tirou os trapos que viraram suas roupas na batalha e com carinho e devoção de um duelista pela sua amada, a encheu de beijos, carinhos e quando estava excitado, pronto para penetrar a sua amada, a luz da cozinha se acende!!!

Ele se desespera e acorda!!! No susto!!!

Bem, escrevi pra caralho, depois concluo isso em outro post, ou não, cheguem vocês as suas conclusões, oras! Eu adoro essa história, e as outras são todas nesse estilo. Tomara que um dia ele escreva um livro!!!

3/27/2006

Completamente Descaralhado!



Eu to assim, meio nervoso e com vontade de roer unhas. Ontem vi um filme alemão sobre repressão, poder e luta. Sabe, filme legal, com personagens intensos e atores super bons? O final é soberano, com uma linha de otimismo bem coerente, do tipo: se tu souber lutar, ou pra que lutar, sua luta vale a pena.

Não sei não; mas é um filme meio parodia que se encontra nas entranhas do poder e da covardia. Fala da aceitação por puro medo e da resistência por indignação. Mais uma vez eu vi que o poder odeia o desafio... E o combate com mais "poder" ainda. Vi tortura, força bruta mesmo aliada ao poder, só que a resistência era mais forte, mais inteligente e detonou o poder, com sabedoria e raiva, muita raiva.

"... você já ouviu falar em Gandh? Ele liderou a resistência pacifica na Inglaterra sem reagir e ganhou o respeito do mundo - mas ele resistiu, não? - é... resistiu..."



Alias, a raiva foi a mola mestre e o alimento da resistência que se firmou solitária, constante e sólida. Mesmo perdendo tudo, amigo, amor, lazer... Tudo. A resistência cresceu como um gigante vingador e acabou por dissolver o poder a porrada mesmo. Socos voaram e todos avisados. Foi lindo ver o moleque falando; "Vou quebrar o seu nariz e depois quebrarei o seu braço." - E assim foi feito. Como homem de palavra!!!

A resistência tem algo de macho dominante nela. De coragem mesmo, confiança e surto. É forte como aço e sabe bater como um lutador mesmo. Mas é triste, sacaneada e solitária... E uma dor lancinante que supera a dor física por já ser a dor em si.

"deixa eu lutar por você, eu já estou acostumado com isso... você é bom, não merece sofrer pelas mãos desse covardes. Eu já nasci brigando, e a briga é uma coisa horrível, depois que começa, nunca mais você para..."



No final, respira-se tranqüilo pelo dever cumprido e segue sua vida com a dor dormindo dentro de si...

Eu sempre achei que o mundo precisa de amor e que esse é o caminho da felicidade, mas o poder sempre será o grande despertador da dor e isso vai acabar acordando monstros e o massacre será inevitável. Parece uma regra para que se valorize o final... o final que na verdade, nunca chega, pois não passa de um intervalo pro segundo round!

Resumindo, a porra da vida é foda!!! E eu não sei o nome do filme... eheheh

3/25/2006

Como é gostar?



Pra mim é um movimento tão natural que tu nem sente, mas é sempre gostoso. Gostoso estar perto, ou mesmo estar participando do que te moveu pra esse lado das coisas. É difícil gostar? É fácil gostar? Mas eu não sei dizer, porque sempre, quando me dou conta, já estou gostando e nunca me lembro da linha onde cruzei o "to nem aí" para o "adoro isso!".

Tudo é possível - até dizer hoje, que aquilo que tu odiava ontem, agora tu ama, porque o gostar é um clique sutil de mais. Eu odiava pimenta... hoje eu amo!!!

As pessoas gostam de coisas que eu não gosto, e eu adoro coisas que as pessoas detestam e, às vezes, eu e as pessoas estamos unidos no gostar e detestar. Raro, mas acontece...

O meu problema nessa história estranha, é que não sei o que me faz gostar, ou detestar - ou mesmo cagar para - certas coisas e pessoas. E, o que acho pior pra mim, é não saber pra que serve mesmo esse lance estranho, sutil e bem etéreo que é o gostar de alguma coisa.

Agora, o que mais curto nessa coisa toda, é me dedicar ao que gosto, como se isso fosse uma trilha para o caminho certo a seguir. Até hoje, me vejo perdido em uma floresta de gostar e detestar sem saber aonde ir, mas ainda sinto... e isso me anima um pouco, a segui.

3/23/2006

Vou te contar, o que me contaram...



De dentro de mim grita um chamado.

Bem, veio do Lagarto que simboliza o sonhador, aquilo que vê além dos outros e na sombra.

Pois bem, vou te contar o que me contaram:

Estático na pedra estava o Lagarto esquentando seu sangue frio no sol do deserto. Nada havia pra ser visto ali, então ele nada olhava... Uma Serpente se aproximou e perguntou:

- Então Lagarto, posso ficar ai tomando sol contigo?
- Pode sim - depois de pensar um tempo, ele completou - Mas por favor, fique ali no canto a minha direita.
- Pois não.

E ela assim ficou.

Muito tempo se fez de profundo silêncio ali, no deserto...

"são como coelhos - só comem, dormem e fodem - e nada acontece ali, naquele mundo seguro - a única preocupação é quando se vê a sombra da grande águia no chão - e a toca não está muito perto - o mergulho da águia pode ser o fim da vida do coelho - ou a liberdade de uma alma condenada ao nada..."



A Serpente virou-se pro Lagarto e questionou:

- Engraçado... não esperava ser recebida assim por ti, não teve medo de mim? Ou estava dormindo e não percebeu quem eu sou?
- Eu não dormia, eu sonhava... E em meu sonho eu vi que sua barriga estava cheia de ratos. Nos meus sonhos eu pude ver que tu estava alimentada, então continuei meditando.
- Mas porque me colocou aqui no lado direito?
- Porque é aonde a sombra vai surgir mais depressa...
- Me quer na sombra então, não teme meu ataque mesmo?
- Eu vejo melhor nos sonhos, eu sinto melhor nas sombras...

"eu sempre penso nisso - as pessoas são realmente bonitas como eu as vejo? - ou as sonho? - sei que não vejo o que estão vendo"



Pode ser que esteja tudo errado aqui, mas te juro, eu te contei o que me contaram.

3/21/2006

Divertido e Perigoso



Chuchu - Tio! Homiviado!!!

Era assim que pareceu o que o nenê berrou no meio do calçadão com uma indignação moralista de estrema direita neonazista. Eu fiquei sério, não é porque so tem um ano e alguns quase dois anos pode se achar no direito de discriminar quem quer que seja do meu lado. Fora que, o único homem que estava perto da gente parecia um gorila sem pelos, de tão grande e mal encarado. E o cara olhou espantado... e nenê voltou a gritar:

Chuchu - Tio! Homiviado!!!
Tio - O que tu ta falando?
Chuchu - Tio! Homiviado!!!
Tio - Olha só, fala devagar porque titio num ta gostando do que ele ta entendendo...

Chuchu respira, olha pra mim com a cara de quem me chama de burro - e te garanto: ela é ótima nisso! - olha para o homem sentado perto o suficiente pra acabar com a gente, vira-se pra mim e diz, pausadamente:

Chuchu - Tio! Homi ta peiadu!!!

Um alívio pairou sobre aquela praia. Não, ela não é discriminatória ainda!!! Não, não vamos levar muita porrada de um gorila despelado!!! Sim, eu agora entendo o porque de tanta revolta...

Chuchu - Neném que fica peiada... Unga num deixa!!! Homi peiadu, tio!!!
Tio - Ele é homem, tu é uma mocinha... ou tu faz como todas as mulheres vem fazendo até hoje, aceitando a ditadura machista e se submetendo, ou, quando tu tiver podendo, se rebela quanto a isso! Veja bem, meu anjinho, sua luta só começou...
- mordidas, beijinhos e apertões naquela carinha com um bico de muita raiva até ouvir as gargalhadas malucas.

3/20/2006

Assombrado Por Símbolos



...se tu não for navegar, vamos a praia amanhã? Eu adoro praia, me faz bem... - veja bem, se eu não for navegar, vamos sim - mas tu vai adorar navegar, é uma delícia, o vento no rosto e todo aquele cheiro de mar. mas, se tu não for navegar, vamos a praia amanhã? - a resposta sempre será a mesma pra essa pergunta - ta bom, não pergunto mais...



Eu tava andando e o dia era claro e meio iluminado de mais, pelo menos pros meus olhos, tudo estourava como parede branca no sol de meio dia. Por isso via as coisas muito sem foco.

Sei que me avisaram da morte de alguém, e eu andei por entre gaiolas entupidas de patos com uma grande cobra dentro. Uma das gaiolas uma cobra engolia um pato, e isso me fez parar pra ver.

A cobra era muito pequena praquele pato, eu achei, mas fiquei vendo... E a cobra explodiu!!! Saindo todas as suas entranhas... Vi pessoas tentando salvá-la, e a ultima coisa que lembro é a cobra deitada morta, toda estourada na mesa de um hospital.

Aí vi que em uma gaiola, patos bicavam a cobra enorme... Que parecia estar mais em perigo que os patos...

"...não agüento mais ficar em casa, não consigo gerir muito bem a solidão, eu fico chorando, aí escuto um som pra me distrair, aí choro um pouco... houve tempos que eu fazia isso na boa, mas hoje a angustia ta muito grande, sei lá porque... "



Muito tempo assombrado pelos símbolos e pela idéia da morte de alguém importante pra mim, não conseguia andar direito, capengava como se estivesse drogado...

Alguns momentos me peguei chorando por entre as gaiolas, com muito medo de sair dali sem entender o que estava sendo dito, outras horas catava uma saída daquela luz intensa como um vampiro sendo torrado vivo.

Assim, pensando meio sem querer desanimar, porque temos que segurar a vida nesse bando de carne que pode explodir a qualquer momento de tanto comer?

Estou atormentado por essa luz, por esse calor, por esse dia sem vento e por sonhos e símbolos... Graças a Deus que as paredes desse lugar estão acolchoadas e não tem janelas... Assim que descansar, vou gritar muito!!!

Algumas horas depois, eu acordei mesmo. Cansado como se nunca tivesse dormido na vida. E com a sensação doida de que predadores nem sempre são predadores e que a morte vem pra todos... Quando chegará essa chuva?! ... Tu pode matar tudo pra se manter vivo, sem fome, vivo mesmo... mas um dia, mesmo com a barriga cheia de patos, tu morre. E de susto!!! BU...

3/19/2006

Aleatório e Descartável



Deu vontade de escrever hoje coisas que me vem a mente, nesse exato momento e que podem não ter nenhum significado real ou de nenhuma serventia, nem pra mim, nem pra ninguém.

Eu gosto das tempestades elétricas, adoro o barulho de raios e a cor das nuvens. Curto ver a tempestade chegando ameaçadora, nossa, isso me faz vibrar com uma alegria quase histérica. Eu adoro olhar o vendo levando as coisas, principalmente as coisas que se deixam levar. Hoje mesmo vi um plástico, branco bailando tranqüilo, com o fundo cinza metálico das nuvens carregadas. Me parece sábio não resistir e até aproveitar as forças que te levam, sabe-se Deus pra onde. Quando que outros plásticos poderiam ter a chance de bailar conforme o vento? Sei lá...

Nem sei se os plásticos pensam nisso...

Coisa que mais odeio na minha vida são dias sem vento, céu azul sem nuvens. Tudo parado. Parece morte. A ação desgraçada da inércia aparente me da um desgosto, uma sensação de perda de tempo. Parece que estão me obrigando a ver uma fotografia que eu - particularmente - abomino. Odeio esse tom de azul que dura estático durante muito tempo nos dias sem vento. Pra mim, o inferno tem a cara do paraíso e por isso, neguzinho mordeu a maça sem pestanejar.

O problema é que o conhecimento comido pela fruta, não nos faz inteligentes, porque nada na vida é fácil... A gente virou mesmo, uns atormentados. (menos Shirley Rox, que conseguiu seu conhecimento por esforço e merito e hoje é uma espécie de Diva do Jornalismo com louvor e mérito)

Bem, eu havia escrito que tudo que escrevi hoje nem serviria pra porra nenhuma. Então nem adianta reclamar... Quem mandou ficar lendo coisas de gente que acha que saco plástico pensa? Não sei o que me fez pensar assim... acho que foi porque eu li "Memória de um Cabo de Vassoura" quando era criança... ou porque sou doido mesmo... vai saber, né?


"Ei! Tá ligado? Quem não pensa é a minha escova de dentes." - Saco Plástico

Obs: Vou te falar que a culpa não foi minha... juro!

3/16/2006

Quinta Feira às 00:00h!!!




Estou entusiasmadíssimo aqui!!!

Um tal de Marcelo B. se juntou com Servio Tulio e fizeram um programa que rola toda quinta na Rádio MEC FM às 0 horas. Meu Deus, que alto astral saber que existe realmente vida inteligente no Rádio Brasileiro!!

Trata-se de um programa alternativo e educativo que realmente passa pelo planeta inteiro recolhendo novidades e divulgando a quem quiser ouvir.

Veja isso: A QUEM QUISER OUVIR!

A elegância e a forma descontraída dos dois excelentes locutores e a programação que é apresentada ao ouvinte é de uma importância fundamental para a melhoria da cultura e - porque não dizer - qualidade sonora desse lugar, onde a rádio pode ser escutada. Sé bem que, pelo site - acredito eu - os programas também são disponibilizados a quem estiver acessando.

Sei que o de hoje, eu escutei e to aqui até agora babando por ter passado - através da música - pela Grécia, Japão e acabado num instigante e delicioso festival Celta na minha queria Irlanda.

Bem, sinto muitíssimo pra quem perdeu e, por favor, se tu me conhece ao ponto de me ligar, nunca se atreva a me ligar nas quintas às 0horas porque não poderei te atender. Até porque, isso não são horas de ligar pra casa dos outros! E tenho dito!

Ah! Hoje é um dia importante pra se dizer, Shirley Rox TU É UMA FODONA!!! Essa minha amiga, é um gênio... Aplaudida na defesa de sua tese, então, sinto muito. É só pra quem pode, entende.

_________________________________


"vc recomendou tão enfaticamente que já coloquei na minha agenda pra ouvir esse programa na semana que vem... vc deve estar se referindo ao programa MOSAICO, à zero hora da noite de quarta pra quinta, certo? pel menos é o que eu vi na prog online... a rádio
desculpe... continuando...
a rádio MEC sempre me lembra o tempo em que eu passava meses aí no rio, ela tem uma programação bem acessível e gostosa, o contrário da cultura fm daquí de sampa que é mais elitista e hermética... nesse exato instante estou ouvindo a radio MEC graças ao link que vc colocou aí no seu blog... ouço um compositor que eu adoro: glazunov... que delícia de ondas sonoras navegando pelo espaço galático-digital-super-heteródino... hehehe... abraciones, sóter..." - e.ernesto

Só respondendo

O programa é na quinta-feira a meia noite, ou seja, de quinta pra sexta... o nome do programa tu pode ver no site RadioElektrola do Servio Tulio. A minha memória é um lixo. As referencias e links estão ai no batatada, meu computador ta me enjoando muito, se eu tiver como - ou seja, se ele deixar - eu coloco tudo aqui linkado, certo? Beijo no Sr, seu Ernesto Gente Boa!!!

Conforme Prometido,

eis aí o blog do progama Música de Invensão

3/15/2006

Sexo, Balelas e Falta de Sonhos



Fetiches e Frivolidades - Sabe, uma vez, eu fui convidado a participar de uma peça onde eu fazia um personagem de um velhote tarado que só entrava, fazia uma ceninha e saía - quase que uns bem 5 minutos do todo da peça... Na verdade eu - o velhote - ia num bordel para arrumar programa com colegiais - o fetiche do múmia - e, como era freguês do estabelecimento, meio que ganhava umas cortesias. Durante o processo de montagens do personagem, eu fiquei me questionado: "o que faz com que velhotes, super acostumados com o ato sexual, se tornarem fetichistas!?"

Durante o processo, eu fui me formando corporalmente como um homem bem acabado e babão, ingênuo e bem romanesco. Só que o velho nem curtia se despir - isso era o texto do doente, famoso doente que as pessoas adoram dizer que ele descreve a vida como ela é - ele adorava ser ofendido pelas meninas, que elas ameaçassem ele e por fim, se gozar todo só pelo escândalo...

Há tempos eu peguei a mania de ler Julia e Sabrina, porque a mãe de uma amiga querida, colecionava e, como eu tava sempre na casa dela, o "não ter nada pra fazer" era revirar as páginas dessas babaquices sem tamanho. Cara foi a minha "muleta" pra conseguir criar em mim um fetichista e montar um velhote assanhado num putero de quinta se masturbando com o pé da cadeira que foi atirada nele. Um golpe de mestre que me rendeu gargalhadas nervosas da platéia e elogios calorosos, veja você...

Só que, todos preferem a lambuzada de comidas enfrente a geladeira de "9 e 1/2 semanas de Amor" - patéticas cenas de mel na minnha pele pra tu lamber com olhos vendados, ridículo!!! - Do que o original: "Ultimo Tango em Paris", onde a manteiga é realmente usada com propósito. Isso é tão doido... A tal mãe dessa minha amiga, uma vez falou - sobre as Julias, Sabrinas e Angélicas - "eu sei que isso tudo num passa de bobagens porque já tranzei muito na minha vida pra saber muito bem o que é sexo, e deve ser por isso que eu adoro ler essas coisas, assim eu me iludo e vejo uma maneira de achar que a vida realmente tem graça..."

Talvez o fetiche seja uma volta ao mundo pra não aceitar o simples, agradável e curto caminho em linha reta... mesmo sabendo que ambos iram dar no mesmo lugar, estranho não?


Traições e Fidelidades. - Taí! Cheguei em um lugar muito mais bizarro que todos os outros!!! Uma vez, vi uma pessoa falar sobre pensamento... sobre como se controla o desejo físico não agindo, mas e o pensamento?

Pensa só, como pode ser possível viver o resto da vida comendo abacaxi se existe uma gama de frutas num pomar vasto pra tu experimentar? Certo que um ser humano não é um abacaxi e a comparação foi muito sofrível... Mas porque uma gama de excrementos genitais soltos a deriva num encontro casual pode ser chamado de traição?

Eu falo isso assim, como se fosse de outro planeta, mas eu tenho ciúme suficiente em mim pra entender que a dor de ter a pessoa amada se dissolvendo em carinhos nos braços de outro qualquer é comparável às vezes que meu dentista tentou encostar aquele motorzinho sem me anestesiar... Como não ser uma fonte de carinhos pra quem tu ama? Mas e quando tu não o é?... deve ser complicado dormir cometendo tal falha, mas como alguém pode dormir se fazendo negligente?

Aqui eu acabo a série de divagações sobre o mundo animal racional que é de todo charmoso e boçal!


3/14/2006

Sexo, Mentirinhas e Falta do Sono



Carência - no meu ver a carência transforma as pessoas em escravas ou acendem um alerta para reavaliar a relação... uma vez me falaram de um certo remédio que cura se tomar a doze certa, mas se passar ele mata... - foi tema da novela que acabou, hehehe - pode ser isso a carência, do ser amado.

O gosto - veja bem, falando no msn com J. me fez ver que os gostos pelo sexo em si se confundem com um conflito religioso/social, sendo definido assim: a heterossexualidade é uma imposição, a homossexualidade uma rebeldia a essa imposição e, a bissexualidade uma forma natural de ver as coisas - partindo do princípio que a primeira atração ao ser desejado vem pelos olhos e, ambos os sexos, são belos quando são belos - mesmo se tendo, no final das contas, um relacionamento sério com quais quer dos dois rótulos (homo ou hetero). Deu pra sacar? Ah, então nem pensa nisso e escute mais o seu tesão na hora que estiver a fim de roseta!

Relacionamento - Pelo que vi, na maioria das vezes, os relacionamentos cegam algumas pessoas que podem viver verdadeiros episódios sinistros de além da imaginação. Tudo na busca de uma vaidade reprimida, de um acerto de vida ou mesmo de uma ganância de estar sendo quem nunca foi por alguns momentos... veja bem, o maior cego é aquele que nem quer ver mesmo. Seja realmente cego ou não.

Aceitação - J., no msn, me falou da importância de ser aceito o seu relacionamento perante os amigos mais queridos... e isso é muito importante, tendo em vista as pessoas que se deixaram cair na ilha que finge ser um ninho... É mais ou menos assim: tu se enrosca em alguém e esse alguém te afasta do mundo - amigos, família e animais de estimação - se afastando também. Assim é feita a ilha do amor!!! Lindo, mas um dia esse alguém bate asas, por outro alguém, ou por sei lá quais motivos e tu se vê preso numa ilha sem ninguém...

Frufrus e Mimos - Talvez todos achem o amor uma formula que só se realiza com a penetração, os movimentos pélvicos e o gozo. Mas e quando o ser amado te liga as 3 e meia da manhã dizendo estar com saudades, ou que sonhou contigo!?... e as coisas lindas de um romance que passam longe da cama e, mesmo que acabem te levando pra ela, nossa, tu vai muito mais cheio de fôlego, é ou não é? Sinto muito, mas nada é mais erótico que ser mimado com frufrus adocicados dados pelas mãos do seu objeto de profundo desejo... mas, veja bem, que nada pare por aí nunca!!! Clao que uma coisa não tira a importância da outra, ninguém quer amar sem foder...

Beijos e Regalos - um dia, um autor falou que as mulheres perdem mesmo a virgindade no primeiro beijo. Penso que os homens também. Me lembro que um amigo disse-me que quando ele deu o primeiro beijo, que foi logicamente antes da primeira foda, ele ficou com a cueca toda melada e não sabia como aquilo tinha acontecido... disse ele que beijava a garota com a qual ele sonhava e isso foi um regalo que ele nunca mais sentiu, nem no dia que ele fodeu mesmo uma outra guria em outra idade. Sendo assim, beijar passou a ser tão importante pra mim, que minha boca, começou a ter um novo significado na história física do meu corpo, passando o meu pênis pra trás, se quer mesmo saber...

Carinhos e conversas - calado não se resolve nada. Hoje ouvi um sábio amigo falar coisas que me deixaram nas nuvens do que deve ser a compreensão exata de ti e do outro dentro de um relacionamento amoroso. Ele disse algo como: "Tu não tem que esperar do outro que ele "se toque" - caia a fixa - quem tem que se tocar é tu mesmo. Se te falta carinho e atenção e porque ta errado isso aí, se toca e saí fora, oras!" Sabe, eu vi uma luz envolta dele enquanto ouvia isso, mas depois percebi que a luz vinha do isqueiro de Jesus dele... eu hem!!! Já ia dar um berro do tipo, ELE É MÉDIUM!!! CORRE!!!

Fim do amor - sem sexo, sem carinho, sem atenção, sem loucuras, sem desejo, sem saudade e ainda namorando ou casado... sem noção... vive-se muito a ilusão do amor.

Chegou!!!



Deus abençoe a tecnologia!!! Tudo tinha sido tão definitivamente triste nesses últimos dias até que a tecnologia trouxe pra mim uma lembrança. Uma lembrança de como eu era divertido, feliz, completamente abestalhado e nem um pouco seco... Fértil!!!

Corri atrás como um doido da Dona Matia Bazar e sua Sulla Scia e, finalmente isso chegou!!! Trata-se de uma italiana com uma voz "puriccima!!!" - ai Raq, italiano de nuvella ehehehe - que se juntou com um povo oriental e fez um som: a trilha sonora da minha juventude maluca. È uma música bem maluca, pode apostar, e com uma elegância sem explicação.

Sei que isso era uma época onde o DJ LC AMBIENTE era grande lançador de estilo e eu tava lá!!! Ouve isso: EU TAVA LÁ!!! Grandes buracos eletrônicos e selvagens, rótulos no lixo, pessoas maravilhosas e grandes bandas eclodindo - festival de criação e deliciosas vozes: Servio Tulio é dessa época - e eu lá!!!

Meu Deus, uma pessoa com meu passado não pode reclamar do futuro, ou do fato que a idiotice a sua volta anda se dissolvendo como açúcar no café dessa gente estranha que coloca açúcar no café. Matia ta agora cantando o hino da libertação!!! Saí patetice!!!

Dona Bazar ta sendo libertária pra mim nesse exato momento! Que Deus abençoe o chuchu que disponibilizou isso, que Deus transforme a Matia Bazar num sucesso eterno e escandaloso sem possibilidade de fim, e que junte ela com Nina Hagen, Saara Saara, tia Siouxsie, MEUS GRITADORES (os caras mais lindos e divertidos desse mundo) e mais alguns divertidos para o mundo ficar mui doido antes da Hecatombe final!!!

Me lembro desse som rolar em uma pista de dança, de um saudoso buraquinho, o grupo que conhecia a música, dançar até se esbaldar - como se o fim estivesse chegado mesmo - no final - a catarze real - todos gritarem como loucos e, mesmo assim, o agudo da Matia Bazar vazar a todos... NOSSA, EU TAVA LÁ!!!!!!!!!!!!!

Espera um pouquinho, vai demorar eu me tocar que não tenho mais meus 20 e poucos anos... hummmm... que cheiro de "neiftalaine" tá aqui, eheheheh, fudeu!!!

3/13/2006

Fluídico



Derretendo em minhas mãos
Dissolvendo seu caráter
Reescrevendo as composições
Minha cara é fria
Porque estou covarde.

Fluídico como meu isqueiro
Recarregável sim, mas quebrado...
Sem chance de colar
Espatifado como meu medo
Acho que não devemos mais nem se olhar

Mas flutuo no vendo
Em um campo leve de centeio
Nossa, seus cabelos...
Aquilo se mexe como eles
Acompanhando o vento
Recolocando-se no momento
Em que não venta mais...

Sinta na sua testa,
O meu beijo:
Toque leve,
Ingênuo,
E covarde!
Após a ceia que mastigo devagar
Vou pra não mais voltar
Fluindo como esse gás
Que saí do isqueiro quebrado
Que não acende mais.



3/12/2006

Manias...



Eu fui na banana e vi uma coisa sobre escrever 5 manias, achei legal a idéia e vou escrever as minhas. Num sou muito maníaco, mas tenho fricotes de matar, veja só:


Se alguém ameaçar a tocar no meu umbigo eu meto a porrada, isso se não arrancar a cabeça do agressor a dentadas.

Não corte algodão na minha frente... eu me arrepio todo e posso te dar um chute!

Eu falo com plantas...

Eu canto com fone de ouvido e nem ligo se estão olhando

Eu odeio gente que desliga o telefone sem dizer nada, tipo:

- Dona O ta aí?
- Não senho....
- pi pi pi pi pi


Sou capaz de passar o dia intero desejando q um piano caia na cabeça de quem faz isso...



Bem; Era pra convidar 5 abestalhados pra fazer a mesma coisa, aqui num entra ninguém, então, se tu teve o saco de ler isso, faz aí no seu blog também... Vou adorar saber mais sobre tu - bhá, até parece... "De perto ninguém é normal" mesmo... por isso, afaste-se de mim!!!

3/11/2006

Um bom presente pra quem ta triste



Eu to sentindo muita fome, mas não quero nem pensar em comer... sinto frio também, quanto a isso eu desliguei o ventilador e melhorou... Cochilei um pouco antes do filme, mas quando o filme começou, acordei... Sei lá, eu to bem triste mas esse filme me colocou açúcar no coração... Agora só tenho fome...

"O amor não deveria ser isso, um prêmio de consolação..." - frase do filme



Eu sei que há um tempo atrás eu tive um sonho, onde nós conversávamos sobre nossas vidas, sonhos e bobagens mil. Só que teve um momento que fui eu convidado para ir ao aniversário, e eu disse: "ah, não, acho que agora só em sonho mesmo, não temos como a gente se encontrar de novo... só em sonho."

Acho que foi isso mesmo, ou mais ou menos isso...

Foi tudo depois que resolvi andar na chuva pra tentar trazer um pouco de poesia na minha vida, e a chuva parou assim que pisei na rua.

Eu tenho muito tempo de vida ainda e muito pouco carinho no meu coração, muito pouco mesmo... Eu não consegui alimentar isso em mim como deveria. Eu sempre me achei carinhoso com as pessoas que eu amo, mas acho que era só "achismo" meu...

Sei que teve momentos bons nesse dia, a morte de Milosovit (ou qualquer coisa parecida, não tenho porque escrever certo o nome de um déspota), a virada do tempo e a foto da lua que tirei com meu celular... Mas hoje deveria ser o dia que eu teria que ir à festa de aniversário que fui convidado em sonho e por isso nem dormi... Não queria ir mais não, nem em sonho acho que devo tentar.

Hoje eu falei pra ela que queria ser uma pessoa suave, justo hoje que fui cortante como uma faca, mas hoje eu percebi que a suavidade me faz muita falta... eu queria ser aquele tipo de pessoa que as outras gostam quando chega...

"nossa, ele ta muito diferente, muito calmo, não sei não, mas isso pode ser um pré-surto, hem!?" - R.



Adoraria ganhar um abraço legal... desses que acalma

"talvez esse seja o chute que tu precisava pra resolver sua vida!" - S.



Adoraria relaxar nesse abraço a ponto de me sentir seguro... Como a história dos hermafroditas... Seres que se completavam tanto que até provocaram a irá dos Deus e por isso foram separados e distanciados, passaram assim a se procurarem incansavelmente. Assim que se encontravam, se abraçavam e assim ficavam até morrer.

É, esse é um bom presente pra quem ta triste como eu.

"I need love, not game!" - Iggy Pop


3/10/2006

Bar Besta e as Gralhas Bêbadas



Bem, pra mim ta mais do que comprovado que eu vivo dentro de um hospício mesmo e que só rola louco a minha volta - mas essa doideira me é bem querida! - porque as coisas não acontecem assim e nunca tomam esse caminho...

Ontem saí de casa, fui a um "bar besta" - minha cidade é a rainha de bares bestas, lugares com pompa e sem nenhuma circunstância legal - com um bando de colegas de manicômio para uma noite tranqüila:

Raq - Desce ai!
Eu- Pra que?
Raq - Vamos no "bar besta"!!!
Eu - Não gosto muito desses lugares...
Raq - Desce logo, porra! Tô na frente da sua casa e a Lú já ta chegando aqui... esquece o lugar, o que importa é o bando... e eu e D. tamo de carro aqui, que é que tu qué mais? carrinho na porta chuchu!!!

Sabe o que acontece? Eu sempre me comovo com frases de apoio, união e luta!!! Aí eu desci... demorei, mas desci.

Chegamos no "bar besta" e lá já estavam mais dois do bando de chacoteiros dos infernos, sorridentes e orgulhosos... "isso vai ser doido!" - foi a primeira coisa que pensei... Principalmente quando olhei pro lado e vi aquela bandinha de jazz de churrascaria toda preparada pra fazer a sua apresentação do momento.

Coisa de louco é tentar entender o que fez com que as coisas se descambassem pra onde foi... A banda tocando um coconuts de 3ª linha (já ganhando o apelido de Hellô KIT!), uma cantora que mais lembrava um periquito australiano (com um vestido amerelo ovo pálido de matar de rir) e - quem freqüenta esse espaço(O Batatata) há algum tempo sabe da birra que tenho com esses bichos (periquito australiano) - e as gralhas na mesa - eu e os doidos - só na bagunça, gritaria e gargalhada.

Um imita cuíca, outro dança com maracás, aquele ameaça rebolar na mesa e tudo sempre acaba em gargalhadas sonoras!!! Porque não confinam esse tipo de gente (nós mesmo sim senhor) em uma masmorra de um hospício abandonado!?!

A menina era sofrível e duas das gralhas sabiam cantar muito bem, sendo que, um tem a maior cara de um gringo de fiofó é rola e fala muito bem inglês... veio dai a "boa idéia" (pasmem!!!):

MH - Vai até o cara e diz que sou um amigo seu americano que canta jazz e amou a banda dele... - já no intervalo
Raq - É pra já!!! - pra putaria é obediente como uma cadela mansa!!!

E ficou assim: o pateta dos teclados veio até nós com a rapidez de um papa-léguas, conversou com o gringo de fiofó é rola com um inglês sofrível que foi difícil não rir e, caiu como um patinho (epa! 1 2 3!!)...

Papa-léguas do teclado - Vem cantar com a gente, será um prazer... (aperte a tecla sap)

MH foi, cantou como um anjo no céu azul, deixou o bar inteiro boquiaberto e ainda chamou a Lú... que foi!!! Cantou como uma sereia junke, reinventou a letra toda de "Insensatez" - música de alguma dos bambambans da Bosta Nova - e quase fez pessoas pularem da parte de cima do bar... (lindo mesmo!!!)

C - A porro, eu também quero!!! - a gralha invejosa
Eu - É, só essa gente se diverte... - a gralha espirito de porco
C- Vamos lá cantar!?! - a gralha pondo pilha errada

O bom senso me freou - a gralha envelhecida - mas Lú e MH mantiveram os personagens da fogosa e do gringo tento aulas de samba enquanto a periquita australiana enchia os pacová da mulambada com sua voz chatinha e seu repertório enjoado...

Bem, saímos do "bar besta" em bando ruidoso como gralhas bêbadas... - literalmente - e fui obrigado a escutar uma frase que me acordou para o fato que estamos em um hospício a céu aberto mesmo:

"Veja isso: esses gringos, quando chegam no Brasil, viram crianças de tão felizes... Da onde eles vêem não pode se fazer nada disso, não se tem alegria!"

3/07/2006

As Escolhas



tradução tosca do patolinus, se tiver ruim, faz a sua e num me enche os pacová!!!



Eu nada tenho haver com a escolha do nome da chuchu que agora está por aqui entre nós e que veio como um presente, pois nem o sol depois de um dia de chuva alegra tanto. Mas tem uma história interessante sobre esse nome...

Bem, eu devia ter bem poucos anos de idade quando saiu uma música e começou a tocar nas radinhos ditas moderninhas e que me deixou doido!!! Mas completamente doido por ela!!!

Lembro-me de ficar ligando para as rádios como um louco pra pedir que tocassem essa música quantas vezes fossem possível. E eu adorava ouvir tocando no rádio mesmo... vindo de longe... sei lá porque, me dava uma paz escutar aquilo...

Sara, you're the poet in my heart - Sara, tu é a poetiza no meu coração
Never change, never stop - nunca mude, nunca pare
And now it's gone - E agora que se foi
It doesn't matter what for - Nem importaria mais pra onde
When you build your house - Assim que construir sua casa
I'll come by
- eu irei



Sei que uma vez, um primo meu - que estava passando férias na minha casa - ficou me perguntando que raio de música era essa e eu falei pra gente passar a tarde - de 6 às 7h - ouvindo o rádio que a música iria entrar nas dez mais e seria tocada como "as mais ouvidas" e ele ouviria como era linda... Ficamos… e passaram-se as dez músicas e a tal música não tocou....

And now it's gone - e agora acabou
It doesn't matter anymore - isso nem tem mais importância
When you build your house - Quando tu construir seu lar
Call me home - Me liga

All I ever wanted - Eu sempre ficarei afim
Was to know that you were dreaming - de saber o que tu estava sonhando
(there's a heartbeat - tinha batidas do coração
And it never really died) - e isso nunca pode morrer



Sei que o dia escureceu e a música não tocou... e meu primo ficou sem saber o que era aquele som tão amado...

Só que eu dormi com o rádio ligado e quando deu 6h da manhã...

Wait a minute baby... - Dá um tempo, chuchu
Stay with me awhile - fica comigo um pouquinho
Said you'd give me light - Diz ai, tu me deu essa luz
But you never told be about the fire
- mas tu nunca esteve sobre o fogo



Isso! Tocou no rádio! Eu e meu primos acordamos e vimos o dia clarear ouvindo a música cantada pelo Fleetwood Mac... no rádio!!! A música trazia a luz pra dentro de casa meus olhos se enchiam d'água!!! Meu primo nem respirava direito, paralisado com aquilo... muito doido!!! Muito doido mesmo!!!

Aí, mas tarde, Don'Ana diz pra mim que se chamará Sara, e sem "h" - como a música!?! - e - como o rádio - ela trouxe a luz - a fria cidade estava radiante na hora que ela veio - de manhã também, cedinho... trazendo a luz pro lugar...

Bem, de agora em diante não posso mais, pois só sei chorar...



Padrão de Qualidade Sobre a Linda Música

"EU ADORO ESTA MÚSICA! ALIÁS, eu ADORO FLEETWOOD MAC!!!!!!" - Servio


Viu só? Num é poca coisa não, cumpadi!!!

3/06/2006

Mas uma sobre Amigos...



Eu encontrei Caju hoje na rua, assim que voltava pra casa do fatídico e calorento banco. Eu dei de cara com ele e falei: "Que isso? Meu dia de sorte?!" E ele: "Caralho!!! Eu não acredito nisso!!! Ontem mesmo falei de ti!!!" Ai rolou aquele abraço, claro!!! No meio da rua sem se preocupar com o que vinha por ela. Uma buzina tirou a gente de lá.

-Vamos tomar cerveja!!!
-Não posso...
-Vai se fudê, mais de 10 anos que não te vejo, vamos sim!

E assim fomos nós, Caju e eu, pro boteco da esquina beber a valer, falar muita merda, rir como duas hienas e, por incrível que parece, escutar histórias novas um sobre o outro e não só reviver o que já era...

Pelo que reparei, estamos bem! Continuamos muito divertidos, mesmo com o passar dos anos e ainda aprontamos poucas e boas. Pelo que senti, estamos muito bem mesmo, com razão pra se fazer muitas coisas por aí e, se rolar um reencontro mesmo, com o resto dos "vira-latas" o mundo corre riscos...

Cheguei em casa bebum, perdi o que tinha que fazer, deixei o mundo rolar sem que eu participe dele, sacou? O mundo foi e eu bebi todas com Caju... Ouvi coisas maravilhosas do tipo: "uma amizade como a sua dura pra sempre, não tem data de validade não senhora..." E babei quando soube que ele e o Pacheco estão com uma banda doida, barulhenta e tão se fudendo pra sucesso, querem é quebrar tudo. Ah! Mas isso pouco importa agora, sei que, às vezes eu acho a minha vida muito charmosa...

Há muitos anos atrás, estávamos: eu, Caju, Pacheco e Silmara na sala de aula, assistindo a patética aula de história do Senhor L. - era um silêncio desgraçado porque Senhor L. escrevia o livro inteiro no quadro e a gente copiava - Pacheco, como quem se distrai com nada, começou a remedar, com a boca, uma bateria de escova de uma suposta bandinha de jazz... Eu então, comecei a fazer o baixo acústico e Caju, uma pianola doida... Silmara se empolgou e remedou um trompete alucinante que fez a turma toda bater palmas pra gente. Senhor L. - espumando de ódio - veio pra cima da gente e só pegou eu e Silmara pra Cristo. Disse ele, com todas as letras, que jamais teríamos amigos de verdade, porque éramos cínicos, debochados e péssimas pessoas...

Hoje pude ver que Sr. L. errou... muito bom isso, muito bom!!!

3/05/2006

Sobre Filmes e Amigos



Com muito orgulho e alegria fui ver o filme doBum em Bostafogo (odeio o nome do bairro que tem o nome do time que tirou o Meu América - que empatou com o Framengo ehehehe - de ganhar o campeonato carioca).

Deixa eu esclarecer coisas: O Bum fez o som do filme, não o filme todo, mas se orgulhava da parada como se ele fosse o dono do filme, que carinho que ele tava com tudo. Fui num mau humor só, achei que ia ser um desses filmes chatos pra caralho, mas não... Lindíssimo!!!

O tal filme sobre bate-bolas e sombrinhas é sublime!!! E o som do filme é espetacular, coisa de mestre, de gênio, ou seja, coisa do meu amigo querido e amado Bum!!!

Eu tenho andado com um pouco de saco cheio de cinema, uma espécie de enjôo momentâneo - tanto que nem me importei com o fato de que o cinema Icaraí pode estar virando uma igreja evangélica (que o capeta consiga exterminar todos que participarem dessa mudança) - só que o filme do Bum me curou. Acho até que amanhã vou ver "A Revolta dos Vegetais" na UFF.

Bem, infelizmente não posso dizer pra que corram pro cinema e vejam o filme do Bum, pois hoje foi o último dia, porém, fico feliz do Batatada existir pra qu'eu possa deixar aqui meu registro de que: cinema gostoso é a melhor diversão mesmo. Falando por alto, trata-se de um documentário lúdico e delicioso sobre as turmas de bate-bolas, sombrinhas ou Clovis que saem no carnaval do Rio de Janeiro. Os depoimentos são tão lindos, as pessoas são amorosas com sua "arte", o subúrbio do Rio é vibrante, colorido, arrogante, estiloso... O filme é impactante e elegante, muita classe, muita arte, muita filosofia e acaba com um senhor de 68 anos que mais parece um jovem de 18 de tão vivo, forte e soberano (um homem lindo de mais de verdade). Tudo no filme é lindo. Fiquei todo bobo de saber que o Bum tava lá com a gente... quanta honra, ele é meu irmão o guri! Um excelente amigo!!! E um gênio!!!

Doido isso, muito doido... como se está tão próximo de figuras tão importantes? Ao alcance das suas mãos!? Tu fala e a figura te responde, vive no seu plano, na sua rota de colisão... Pô, o que eu adoro em mim, é que sempre dei o grande valor a todos os meus grandes amigos... jamais terei que falar a frase que mais abomino: "quem diria, hem..." To salvo disso!!!


ERRATA!!!!

Não era o último dia! O filme vai até quinta. E o velhote tem 62, não 68. Veja só.. Já está alterando as coisas... Depois diz que não usa Photoshop!! - Shirley Rox



CORRAM PRO CINEMA!!! SE O FILME NÃO ESTIVAR LÁ, BATAM NA SHIRLEY ROX, EHEHEHE



Carnaval, Bexiga, Funk e Sombrinha - Documentário



Classificação: 0 Duração: 65 minutos O documentário, rodado durante o carnaval de 2005, que passa longe de qualquer recorte folclórico ¿ é uma contundente radiografia urbana das comunidades da Zona Oeste do Rio de Janeiro. Os grupos retratados, ao mesmo tempo em que perpetuam a velha tradição do alegre carnaval de rua, levam às últimas conseqüências os preparativos de uma festa que começa 361 dias antes da saída dos multicoloridos blocos. Salas:Unibanco Arteplex, 05 - 18h




Endereço: Praia de Botafogo, 316 - Botafogo
Telefone: (021) 2559-8750
Preços: Sex a Dom e Fer, R$ 16,00; Seg, Ter e Qui, até 17h, R$ 12,00, após, R$ 14,00; Qua, R$ 10,00; meia-entrada para menores de 12a, maiores de 60a e correntistas do Unibanco
Serviços: acesso para deficientes, ar-condicionado, estacionamento

3/04/2006

Doido Somos, não?



Prefiro pensar assim, que o mundo é um hospício, que os loucos não tem muita memória e que, por isso, as cobranças correm como rompantes de como se ontem nunca existiu e nunca haverá amanhã... de fato tudo parece certinho e eu sempre estou errado, como agora, por exemplo.

Porque estou falando disso!? Como pode ser assim, tão rancoroso e rebelde esse Pato Apatetado? Sou apenas um Pato... e Patos são Patos, o nome já diz... Por isso pedi, não alimente os patos, eles regorjeiam tudo que comem com muita pressa. E fora de hora...

Eu estava meio que arrumando minhas coisas e achei uma lembrança virtual de um pedido desesperado para se fazer jus a um texto tão legal em um local virtual. Como não? Lá fui eu preparar com tamanho empenho o que foi me pedido, eis aqui o resultado:



Só que isso nunca foi usado!!! Céus, nunca mesmo... assim como outras coisas que fiz e que sou convocado a fazer e faço com prazer, com amor, e afim mesmo de participar...

Só que uma vez falhei, e por isso fui cobrado a ponto de minha fidelidade como amigo ser colocado a prova; "isso não é papel de amigo" me foi dito. Normal... Não sou um cão, sou um Pato e vôo pro sul no inverno...

Quando achei esse lindo poema (PatoFanho) sobre loucura - lido por Esther do Porcas e sonorizado pelo Pato - que entendi o porque sou um Pato. E porque somos todos loucos... Só que a loucura não me é cara nesse exato momento, por isso, vou fazer meu ninho aqui mesmo e daqui não saio mais.

O Batatada é meu pastor, e nada me faltará!!!

3/01/2006

Sou Obrigado



Nada posso fazer, pois sou obrigado... e isso é o que pode ser dito justo agora.

Tenhamos a santa paciência pois somos obrigados e isso é o que se pode... por agora.

Tô aqui esperando que as palavras sejam: "muito obrigado". Foi muito importante tentar e saber que milhões de anos de silêncio absoluto, de controle sobre sua vida e de folia não adiantaram nada. O batuque continuaria e a dor de cabeça pela fome também.

O jejum é obrigado. O mau humor é conseqüência... O sangue será analisado e mais uma vez estarei com respostas que só os grandes mestres podem decifrar.

Que não me falte um pouco de frio, agora, nesse momento... eu tô gelado!!!