Páginas

O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

5/10/2018

sobre crise de idade


não tive crise de 30 nem de 40 e, como todo bom retardado, estou tendo a de 50 e tá foda!!! uma das coisas mais forte nessa tal crise é a autolimitação. não que eu não fazia isso antes, mas eu sempre tinha uma força pra lutar, uma esperança do "vale a pena" - um lampejo de que "um dia eu chego lá" - agora, na crise dos 50, eu diria que mais da metade dessa força se esvaiu e as auto limitações ficaram fortes demais... sempre eu recebo um corte muito incisivo e profundo com o "não vale a pena" que vem de dentro e chega gritando... e a minha passividade perante a isso talvez venha de uma vida inteira de lutas e frustrações fora do comum e nem um pouco parecida com algo real, diria até que é muito surreal.. quando eu paro para pensar que todas as minhas conquistas foram erradas e todos os meus desejos foram idiotas... nossa, dá um desanimo!!!
sei que parece um discurso deprimente, mas na verdade é só uma constatação de que nada parece ser sério, tudo parece ser fantasioso demais e que - não sei porque - alguma coisa me tirou dos olhos um filtro que não via que tudo, ou quase tudo, é um fingimento da porra, uma interpretação fugas de porra nenhuma, um eterno dormir e acordar pra nada...
bem, eu ando filosofando com tudo, a melhor coisa da crise é isso, eu aprendi a ver poesia em tudo e a entender que a poesia é algo muito mais interessante e dinâmico do que falam por aí... e passei a concordar com Fernando Pessoa de que se todo poeta que fala sobre loucura tive um pingo de noção do que é isso, não se atreveria... e com Edgar Allan Poe que dizia que a poesia não é um lugar confortável da literatura e muitos que se atrevem a ser poetas, assim fazem, porque não sabem o que estão fazendo... eu estou amando a poesia, lugar confortável pra quem tá em crise, e tenho visto poesia em tudo... teve um dia que assisti um vídeo de um americano - sim, é importante que saibam a origem da pessoa para se entender a agonia que senti - e ele ensinava a se pegar um vidro qualquer, BEM VEDADO, para se criar um ecossistema dentro dele q seria algo além de um terrário, com peixe e tudo... bem, sei que no final do troço apareceu um peixe na parada, q surgiu ali sem que ele tenha colocado, e ele - muito espantado - falava que o peixe viveria pouco, mas não, o peixe cresceu, se desenvolveu e estava lá, vivendo no mundinho de vidro dele... véi, teve um momento que eu relacionei a porra toda... aquilo criou uma proporção gigantesca na minha cabeça... eu sofria e me encantava. Assim que o vídeo acabou eu reconheci as paredes de vidro que estamos vivendo. Somos tão livres que não conseguimos sair do lugar. Se saímos, porque hoje tudo ficou mais perto, voltamos... ao nosso mundinho de vidro construído por um americano. Sou desses, acabo com seu dia... para de ler essas coisas!!! bjs

Nenhum comentário: