Páginas

O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

5/19/2018

A Felicidade...

eu tava falando sobre isso agora com amiguis no bar... a tal felicidade. a gente passa a vida perseguindo essa dondoca e ela sempre dá um jeito de escapar. ninguém prende a felicidade, ela tem um prazo de validade, ou, ela nem se quer existe. é uma daquelas "amigas" imaginária.

não quero dizer aqui que não existam pessoas felizes, nem quero questionar isso pois sei, de forma cruel e irritante, que um dia, um sereno e amargo dia, alguém terá que tirar seu sorriso do caminho, pois um outro alguém terá que passar com sua dor.

a gente cria movimentos de angustia, de desespero, de profundo tristezas para no fim, como nas novelas, ser agraciado pela felicidade... eu tinha um professor que sempre dizia: "no final, tudo dará certo! se não deu certo ainda, é pq não acabou" - sim, a felicidade parece muito com a moça da coxia que puxa as cordinhas para fechar a cortina... "e eles foram felizes para sempre!" acabou a história. simplesmente porque ninguém sabe o que é ser feliz para sempre...

a felicidade me lembra muito a mordida na única fruta, dá única árvore que não poderia morder no paraíso... como seria um paraíso criado por Deus se não o lugar tão perfeito que nem dá pra imaginar?! porque alguém morderia essa maçã?!?

pensa...

pra mim só tem uma resposta: a gente só consegue ser feliz se a gente souber o que é ser infeliz e, mesmo depois de ser feliz, a gente corre logo atrás de alguma coisa que vai ser muito difícil de fazer pra ser "infeliz" e assim, conquistar a felicidade de novo... to errado?

deixa eu te contar um documentário que eu vi: era sobre um guri que fazia coisas radicais perigosas como saltar de paraquedas de lugares que poderiam matá-lo. esse guri fez diversos desafios muito complicados, quase impossíveis e ele sobreviveu a todos... um dia levaram ele pra pular de um lugar - uma montanha - onde, embaixo, teriam muitos obstáculos pontiagudos - como pedras e pinheiros - e ele teria que ser muito bom para conseguir não morrer dessa fez... as pessoas que foram com ele, para registrar o feito, falaram que ele estava muito calado, com um ar de tédio e sem preocupação nenhuma... pois bem, quando chegaram lá encima e preparavam o material que ele iria usar, ele, sem falar nada, simplesmente correu em direção ao despenhadeiro e saltou! sem nada... e se espatifou lá embaixo... durante o documentário, uma pessoa analisou o feito como alguém que não conseguia mais ver desafios nessas coisas, como alguém que precisava realmente fazer algo além e que isso é muito comum em pessoas que fazem essas coisas de "desafiar a morte" nesses feitos... em resumo: ao meu ver, claro, esse cara não aguentava mais procurar a felicidade, achar e ter q procurar de novo... mas isso sou eu com meus pensamentos. e acho que isso sou eu com minha vida também...

na conversa do bar, uma pessoa me falou que felicidade não existe, que não é um direito e que incutem nas nossas cabeças coisas pra que fiquemos o resto das nossas vidas tentando achá-la, em carros, casamentos, filhos, animais de estimação, comidas, drogas, viagens... segundo o que eu entendi, basta a gente parar de procurar, cagar pra isso tudo, que a felicidade vem até a gente, e, tranquilamente senta do nosso lado, pega nossa mão e a gente fica feliz, tranquilo, sereno, sem esperar porra nenhum de nada... bjs!!!

desculpem os erros - nem revisei essa texto, pra não sabotar sua essência... vomitei essa porra. bjs de novo!!!!

Nenhum comentário: