O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

12/13/2008

Passando por um instante sem movimento real



As duas horas da tarde de ontem, eu tive uma sensação doida que o movimento que eu fazia não condizia e nem combinava com o relógio da parede do estabelecimento que eu estava. Foi um lampejo de dormência eclética. Eu sei que eu falava como se eu estivesse me movimentando de acordo, com as duas lindas pessoas q falavam comigo e, sei que elas, eram duas mulheres lindíssimas, também não notaram nada de diferente... mas eu notei, percebi tudo tim tim, por tim tim...

Era um movimento extenuante e leve de mais para o peso da movimentação constante do relógio na parede. Como se eu tivesse me bipartido e consagrado com as duas almas vivas ali o caminho certo da estrada para o mundo irreal, e, por isso, me perdi em horas e horas de chuva e café.

Aí, e veja bem, aí eu passei pela noite sem me preocupar q iria ao encontro de dois irmãos na casa da Grande Dama e hoje vive em sonhos, livre, lívida e feliz... e dentro de tal castelo quase q medieval de tão ilumidado por velas astrais, recebi o amuleto que me confirmou que eu estava certo e, por isso, poderia até falar sobre isso... como faço aqui. Tratava-se de um livro com confirmações sobre o que é pisar no Bello Reino, O reino das Fadas...

Não, nada de mais realmente, talvez pareça tudo de mentira pra ti, que se dá o trabalho de ler isso, mas... é uma verdade sem precedentes de provas, pois não cabe a ninguém acreditar, para que ela exista... é só um simples fato, perigoso, pois chovia muito, porém tranquilo... pois na verdade, por mais q a sensação fosse grande, os edifícios não ruiram encima de mim, como açucares...

Um comentário:

esse mesmo disse...

Oi, Tio sóti.
Agora eu tenho blogue: http://tuodizes.blogspot.com/
Beijos pra sua senhoria e na Dona O.