O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

6/11/2008

Eu e meus Sonhos



Tive um sonho ontem muito estranho, pois nunca me vi, em sonho, em uma situação tão real como essa. Sonhei que andava pela rua da praia para fazer algum pagamento em algum banco - como rola sempre - de alguma conta e, de repente, uma espécie de tempestade descontrolada, dessas tipo ciclone sub tropical, caiu sobre as ruas meio que destruindo tudo que estava na frente da praia.

Vidros caiam e explodiam como bombas no chão, tipo música apocalíptica de Eduardo Duzek , e algumas pessoas eram arrastadas pelo vento. O que mais me marcou foi ver pombos sendo arremessados nas paredes como balões de gás cheios de água. Eu consegui entrar na loja aqui do lado da minha casa que teve seus vidros espatifados e fiquei preso dentro de um lugar fechado da loja junto com um funcionário que eu não conhecia e por isso, não tinha assunto, só ficávamos meio que rezando e com um medo punk lá de fora.

Barulheira infernal!!! Gritos, buzinas, luz piscando, curtos e o que mais de pirotecnia se pode imaginar em situações como essa. Doidera mesmo. Só que alguma coisa me dizia que não era o fim e isso me dava um nervoso morbido, pois eu pensava, "merda, porque to passando por isso tudo, se ainda nem é o fim?!"

Sei que dormi até o final da tempestade e pude ir a rua ver o que sobrou de tudo, no sonho. O que me deu um pancadão na mente foi ver que nenhum prédio tinha ruido... todos em pé! como se nada tivesse acontecido, porem, o chão da rua era como um mar de sangue, lama e destroços... O que me irritou ao ponto de me fazer acordar foi o cheiro daquilo!!!

Ao acordar, dei de cara com um dia lindo, um sol magnífico e um cheiro de comida fritando delicioso vindo da cozinha de alguém... E fui ao banco pagar uma conta qualquer... No caminho, o tempo mudou, um vento entrou forte, acinzentando tudo e me deixando com o cu na mão! Só que eu me lembrei que eu não sou a Mãe Diná... então relaxei...


Grace Jones - Pars



Alors pars, et surtout ne te retourne pas!
Sai batido, e sobretudo não volte!

Pars, qu'est-ce que tu dois faire sans moi?!
Vai lá, o que tu vai poder fazer sem eu?

Quoi qu'il arrive, je serai toujours avec toi,
Assim que ele chegar, estarei do seu lado

Alors pars, et surtout ne te retourne pas!
Sai fora e sobretudo não volte!

Et l'enfant, il est avec moi,
O guri, vai fica comigo

Il est la, il est drole comme tes yeux,
Ele ta aqui, é engraçado como seus olhos

Il est comme toi, impatient,
ele é como tu, impaciente

Il n'a de peur, Il aime la vie,
ele nem tem medo, ama a vida!

Et la mort ne lui fais pas peur, o pars!
A morte não lhe da medo, Ah Sai Batido!

Tais-toi! Mais qu'est-ce que tu as? Pars!
Fecha o bico! Mas o q tu tem? Vai lá!!!

Je t'aime, toujours, il faut toujours,
Eu te amo e sempre te amarei

Alors pars, tire-toi!
Sai fora! Se manda!

Ça va, pars, qu'est-ce que tu dois faire? Alors pars,
Ta beleza, rua, o que tu poderá fazer? Vai logo!

Ça va bien, pas de probleme, pars,
Ta beleza mesmo, sem erro, sai fora

Mais, reviens a moi, alors pars.
Mas um dia venha pra mim, Agora sai batido.

Nenhum comentário: