O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

9/03/2006

DIGA NÃO A ESTE GOVERNO CORRUPTO E CHEIO DE MARACUTAIAS!
DIGA NÃO AO INIMIGO DOS TRABALHADORES!



- Recebi isso via mail, to colocando no Blog -

"Eu acho que essa pessoa que se diz metalúrgico não teve ainda condições de contar quantas pessoas que direta e indiretamente serão prejudicados com a crise da VARIG/AERUS, VASP, TRANSBRASIL. Se não consegue contar deveria ter a lucidez de perguntar a seus assessores.
Será que ele sabe que essas pessoas VOTAM e tem famíliares que VOTAM e amigos que também VOTAM?
Quando ele pedir tentar entender porque perdeu a eleição, vai ser tarde para ver a besteira que fez."
- Cmte. Zoroastro

Últimas Notícias



VARIG: Lula diz que não reconhece dívida do governo com a aérea Brasília, 31 de agosto de 2006 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje não reconhecer o direito da Varig de receber R$ 2,8 bilhões da União por reparação à política de congelamento de preços durante planos econômicos do governo federal. Em decisão de maio deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a Obrigatoriedade de ressarcimento à aérea como
compensação pelo congelamento de tarifas entre 1985 e 1992.

Ao conceder entrevista à Rádio Guaíba AM, do Rio Grande do Sul, o presidente lembrou que o exercício do poder o fez deixar de "construir fantasias", fazendo-o "trabalhar com a realidade pragmática que os fatos e a nação se impõem". "De vez em quando as pessoas constroem fantasias na cabeça. O caso mais forte da fantasia é a Varig", disse.

Afirmou que desde 2003 sabe que a saúde financeira da Varig não vai bem e que foi informado na época que a aérea não tinha solução. "Desde que tomei posse fui informado pelo governo anterior que a Varig não tinha solução", comentou. "Que a Varig tinha problemas crônicos, que tinha uma dívida impagável e que era impossível ter uma solução para a Varig". E aproveitou para criticar os que sugeriam que o governo abatesse do rombo da empresa
junto à União o crédito que havia conseguido no STJ.

"Nós fizemos uma lei de falências em que uma das razões era a Varig. Fizemos mudanças no Congresso Nacional para a Varig se valer delas. Era uma oportunidade de se resolver. A Lei de Falências é uma lei geral, mas incluímos as empresas de aviação porque elas estavam proibidas de se beneficiar da Lei de Falências. E nós achamos que era um absurdo", disse.
Quando da época do vice-presidente José Alencar como ministro da Defesa, explicou Lula, "as pessoas entregavam documentos, contabilidade, [e diziam] o governo federal pode fazer um acordo com a dívida que tem".

Com alguma alteração de voz, Lula destacou que "o governo não reconhece a dívida". "O governo sério tem que recorrer porque na hora em que não quiser negociação vão dizer que estamos fazendo mutreta. Vamos até o final. Se no final o Supremo Tribunal Federal der ganho de causa, o governo lamenta profundamente e paga o que deve, mas eu acho que nós vamos ganhar essa causa", avaliou.

Segundo o presidente, foram convocadas reuniões no Palácio do Planalto com técnicos do setor de aviação e com "os principais cinco empresários brasileiros" porque ele queria se eles tinham uma solução para a Varig. Em todos os casos, verificaram que a empresa não se salvaria.

INÚMERAS PESSOAS JÁ TENTARAM ALERTÁ-LO PARA OS DANOS QUE O PROBLEMA
VARIG/AERUS, VASP E TRANSBRASIL PODERÁ TRAZER A SUA ELEIÇÃO. A ÚLTIMA FOI A PRESIDENTE DO SINDICATO NACIONAL DOS AERONAUTAS SELMA BALBINO CUJA CARTA RETRANSMITO ABAIXO.

Rio de Janeiro, 31 de agosto de 2006.


Ilustríssimo Senhor
Presidente da República
LUIS INÁCIO DA SILVA




Prezado Senhor,


Após assistir a entrevista que o Sr. concedeu ao Jornal da Globo, no dia 30/08/2006, às 23:00 horas, fiquei estarrecida e bastante surpresa em constatar, que apesar de eleito pela classe trabalhadora, tive que admitir o privilégio e a prioridade que gozam a categoria metalúrgica
sobre as demais categorias, em detrimento dos trabalhadores aeroviários e aeronautas, apesar de sermos solidários com todas as demais categorias, que venham a ter seu direito ferido por quem quer que seja.

Gostaria de registrar que o caos social e o sofrimento, que estão atravessando os trabalhadores da aviação, especificamente VARIG, VASP e SATA. É importante registrar o tratamento privilegiado dado à categoria metalúrgica em detrimento das demais categorias.

Sobre a não intervenção do governo na questão do setor aéreo, onde já temos um desemprego na ordem de 15.000 trabalhadores diretos e indiretamente quase 25.000, em função do desastre ocorrido na VARIG, nos surpreende a total omissão do governo LULA. Sequer dinheiro de rescisão de contrato, esses trabalhadores tem a receber. O governo permanece acreditando ser um problema de mercado. Qual a diferença entre uma empresa multinacional alemã e seus trabalhadores para empresas nacionais de aviação com concessão pública? Sabemos sim, Sr. Presidente.

Enquanto o Sr. diz no Jornal da Globo que os trabalhadores metalúrgicos estão pagando por um erro da direção da VOLKSWAGEN, que lançou um produto, que não "deu certo" no mercado e que os trabalhadores metalúrgicos não podem pagar por esse erro, nós da aviação,
ouvimos de Vossa Excelência e de vários Ministros de seu governo que os problemas da VARIG eram problemas da direção da Fundação Rubem Berta.

Então pôr que, Sr. Presidente, que os trabalhadores da VOLKS não podem pagar por um erro da direção da VOLKS e os trabalhadores da VARIG e da VASP podem pagar por um erro da Fundação Rubem Berta e do Sr. Canhedo? Porque que para os metalúrgicos o governo está
desdobrando-se para evitar as demissões e no caso da VARIG e da VASP o governo não se mexeu para evitar o caos social instalado na VARIG e na VASP?

O que será que os metalúrgicos tem que os trabalhadores aeronautas e aeroviários não tem, Sr. Presidente? Porque o Ministro Marinho, segundo o Sr. na entrevista, se empenhará para resolver o problema dos metalúrgicos na VOLKS e o Ministro Marinho não se empenhou para
impedir o desastre que estamos vivendo na VARIG e na VASP, Sr. Presidente?

Quando lembro que categoria aeroviária e o nosso sindicato fez campanha para V. Excia. não queríamos ser privilegiados. Continuamos defendendo um Brasil para Todos. Porém o que estamos vendo é Um Brasil para Alguns.

Não tenho coragem de fazer campanha para V. Excia. entre os trabalhadores da aviação, porque tenho a certeza de que seria apedrejada, de tanto sofrimento que estamos vendo os trabalhadores enfrentar.

Como petista, continuo votando em V. Excia. e no partido. Mas, confesso que com uma mágoa profunda pelo descaso que o seu governo teve com os trabalhadores da aviação.

Encerro estas linhas, afirmando com profunda certeza, Sr presidente, que para o patrão da aviação, o Sr. foi pai, mas para os trabalhadores o Sr. foi padrasto. Ainda há tempo, Sr. Presidente, de consertar os erros cometidos pelo seu governo, na aviação. O seu governo poderá fazer um encontro de contas, com ação judicial ganha pela empresa VARIG, transitada em julgado no STJ, onde esse encontro de contas poderá beneficiar os trabalhadores que estão na demitidos, que não receberam suas rescisões trabalhistas, por falta de dinheiro e os
trabalhadores aposentados, que tiveram seu plano de previdência complementar liquidado, cujo as garantias de pagamento ao fundo de pensão está atrelado ao encontro de contas do governo da ação de defassagem tarifária junto ao governo. São 4 bilhões e 500 mil reais
que a VARIG tem para receber. No caso da VASP, apesar de não Ter ido a última instância, também já há vitória em primeira e Segunda instância.

Cordialmente,
SELMA BALBINO
Presidente
SINDICATO NAC. DOS AEROVIÁRIOS

Nenhum comentário: