O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

6/20/2006

Kid Creole & The Coconuts



Wonderful Thing



Acabei de achar no Z. esse CD dessa banda, Kid Creole & The Coconuts! E tava baratinho, sendo assim, comprei! Comprei porque essa banda veio aqui no Rio e cantou no Morro da Urca e, só tinha eu, alguns amigos e uns turistas lá pra assisti-los - não foi quase ninguém mesmo - e eles deram um show como se tivesse lotado aquilo. Show divertidíssimo!!!

Mas não foi só isso que me fez comprar esse CD - eles são ótimos mesmo e o CD é divertido e tem um som foda! - tem um detalhe nessa historinha desse Show que me foi muito mais divertida que tudo.

Então, como eu disse, haviam uns turistas no meio de meia dúzia de 3 ou 4 gatos pingados na platéia e acabou que todos se conheceram ali. Eram franceses, os guapos, e muito simpáticos. Foram pelo Morro da Urca e acabaram amando o Kid Creole, além de ficarem super íntimos da gente, como se nos conhecêssemos desde criancinha. Foi muito divertido mesmo, muita bagunça, muita interatividade com o show, tudo parecia um espetáculo só... Taí, eles deram um Show excelente, impecável, mas tiveram a platéia dos sonhos de todos os artistas que curtem seu trabalho acima da grana.

Toda aquela intensidade durou aquele momento do show mesmo e assim que se desceu o morro, cada um foi pro seu lado e até esquecer aquilo tudo eu esqueci... Devido ao tempo mesmo. Pois passou muito tempo, mas muito tempo mesmo pra eu conhecer B.

È isso, um dia, do nada, veio um francês passar uma temporada aqui em casa, o B., e assim que ele chegou, eu tava com o pé engessado, e dei de cara com ele na sala. Sentado e esperando. Olhei e fiquei achando estranho o fato de que aquela cara não me era estranha... Até então, eu nunca tinha ido a França e - pra mim, depois daquele tempo todo - nunca tinha visto um francês de perto. Pois foi isso, ele com a mesma sensação, a gente se deu bem de cara, ficamos muito amigos e saímos por ai pra beber e fazer merda. B. se infiltrou nos meus amigos, com um português de índio em filme apache americano dublado e, um dia, estávamos numa boate bagaceira bebendo caipivodga e tocou - sei lá porque - "Annie, I'm not your Daddy" - digo sei lá porque pois eu até tinha esquecido do Kid Creole, ninguém nem falava disso - e B. falou: "Eu estavi aqui e foi na Urca, la no cima, ver essa Show de Kead Creole, é muita bom!!!" E foi isso. Nossa, relembramos tudo aquilo e ficamos besta como que o destino trouxe os caras de volta, pra conviver mesmo. B. passou uns bem 2 meses na minha casa e ficou voltando, eu fui pra casa dele em Paris, e ficamos amigos como todos os meus amigos, ou seja, viramos primos, parentes.

Hoje rolou um afastamento de novo, tempo, vida, distância e mais mil fatores da vida... Talvez tenha sido porque o tempo de se encontrar e se divertir acabou mesmo, eu não ligo muito pros designos de Deus - cago pra eles mesmo, sempre penso, "ah, é isso?" e vou vivendo - Hoje o B. ta casado com uma das gurias mais linda e legais da França, a N. e espero que eles estejam muito bem, porque ambos merecem, a N. foi outra q virou cadeira cativa no meu coração...

Bem, esquecimento não tem mais como, até porque, estou com o show do Kid Creole & the Coconuts aqui, prensado num CD que jamais sairá de perto de mim. E lamento muito pelo Brasil não ter divulgado tanto o Show deles, lamento e agradeço, são os designos Dele... Há, quem liga!?! No final das contas, Ele acaba mandando bem mesmo.

Nenhum comentário: