O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

3/10/2006

Bar Besta e as Gralhas Bêbadas



Bem, pra mim ta mais do que comprovado que eu vivo dentro de um hospício mesmo e que só rola louco a minha volta - mas essa doideira me é bem querida! - porque as coisas não acontecem assim e nunca tomam esse caminho...

Ontem saí de casa, fui a um "bar besta" - minha cidade é a rainha de bares bestas, lugares com pompa e sem nenhuma circunstância legal - com um bando de colegas de manicômio para uma noite tranqüila:

Raq - Desce ai!
Eu- Pra que?
Raq - Vamos no "bar besta"!!!
Eu - Não gosto muito desses lugares...
Raq - Desce logo, porra! Tô na frente da sua casa e a Lú já ta chegando aqui... esquece o lugar, o que importa é o bando... e eu e D. tamo de carro aqui, que é que tu qué mais? carrinho na porta chuchu!!!

Sabe o que acontece? Eu sempre me comovo com frases de apoio, união e luta!!! Aí eu desci... demorei, mas desci.

Chegamos no "bar besta" e lá já estavam mais dois do bando de chacoteiros dos infernos, sorridentes e orgulhosos... "isso vai ser doido!" - foi a primeira coisa que pensei... Principalmente quando olhei pro lado e vi aquela bandinha de jazz de churrascaria toda preparada pra fazer a sua apresentação do momento.

Coisa de louco é tentar entender o que fez com que as coisas se descambassem pra onde foi... A banda tocando um coconuts de 3ª linha (já ganhando o apelido de Hellô KIT!), uma cantora que mais lembrava um periquito australiano (com um vestido amerelo ovo pálido de matar de rir) e - quem freqüenta esse espaço(O Batatata) há algum tempo sabe da birra que tenho com esses bichos (periquito australiano) - e as gralhas na mesa - eu e os doidos - só na bagunça, gritaria e gargalhada.

Um imita cuíca, outro dança com maracás, aquele ameaça rebolar na mesa e tudo sempre acaba em gargalhadas sonoras!!! Porque não confinam esse tipo de gente (nós mesmo sim senhor) em uma masmorra de um hospício abandonado!?!

A menina era sofrível e duas das gralhas sabiam cantar muito bem, sendo que, um tem a maior cara de um gringo de fiofó é rola e fala muito bem inglês... veio dai a "boa idéia" (pasmem!!!):

MH - Vai até o cara e diz que sou um amigo seu americano que canta jazz e amou a banda dele... - já no intervalo
Raq - É pra já!!! - pra putaria é obediente como uma cadela mansa!!!

E ficou assim: o pateta dos teclados veio até nós com a rapidez de um papa-léguas, conversou com o gringo de fiofó é rola com um inglês sofrível que foi difícil não rir e, caiu como um patinho (epa! 1 2 3!!)...

Papa-léguas do teclado - Vem cantar com a gente, será um prazer... (aperte a tecla sap)

MH foi, cantou como um anjo no céu azul, deixou o bar inteiro boquiaberto e ainda chamou a Lú... que foi!!! Cantou como uma sereia junke, reinventou a letra toda de "Insensatez" - música de alguma dos bambambans da Bosta Nova - e quase fez pessoas pularem da parte de cima do bar... (lindo mesmo!!!)

C - A porro, eu também quero!!! - a gralha invejosa
Eu - É, só essa gente se diverte... - a gralha espirito de porco
C- Vamos lá cantar!?! - a gralha pondo pilha errada

O bom senso me freou - a gralha envelhecida - mas Lú e MH mantiveram os personagens da fogosa e do gringo tento aulas de samba enquanto a periquita australiana enchia os pacová da mulambada com sua voz chatinha e seu repertório enjoado...

Bem, saímos do "bar besta" em bando ruidoso como gralhas bêbadas... - literalmente - e fui obrigado a escutar uma frase que me acordou para o fato que estamos em um hospício a céu aberto mesmo:

"Veja isso: esses gringos, quando chegam no Brasil, viram crianças de tão felizes... Da onde eles vêem não pode se fazer nada disso, não se tem alegria!"

Nenhum comentário: