O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

9/18/2005

Intermezo



Na verdade era ela de um lado - linda, branquinha como nuvem, magra e com um desenho antigo, como um camafeu - ele do outro - já bebinho, mas ainda mais charmoso, brilhante de tão loiro e com olhos sonolentos e voz facinante - e uma mesa, entre eles...

Mas era apenas um botecozinho, chovia a cântaros e mesmo assim, nada era tão romântico assim que fizessem que eles - mais ela - se virem juntos. Mas ele tentou, chegou a pedir, implorar, e até se arrastar por um beijo... Mas ela não, ainda fria como um dia no inverno russo, se manteve elegante e recusou a tudo.

Ele sofreu - com ressalvas - mas sofreu... me usou muito como interlocutor de sua dor. Enquanto ela se espalhava em risos, se derretia aos elogios e dizia não com charminhos e frases complementares que só ressaltava sua esperteza. Eu tentei ajudar dizendo a ela:

- Nossas, vocês dois parecem ter vindo da mesma época, tempos distantes... vocês combinam muito. - juro que não falei só pra agradar. Me era caro ver aquele casal, cinematográfico, aos beijos numa catarze amoroso digna de final de novela. Com chuva e muito brilho, sim, eles brilhavam em suas existências claras, ela como nuvem de algodão, ele como barra de ouro. (não pelo valor, e sim pela luz branca e amarela).

Mas ela respondeu-me assim:

- Apesar de minha aparência antiga, sou uma mulher moderna, vim aqui para experimentar os novos tempos, fazer um intercâmbio de épocas. - e logo após, as risadinhas de todos na mesa, inclusive dele, que além de apaixonado, era brejeiro como só ele mesmo.

Pois é, conclusão que me veio: faltou o clima... faltou o tempo... o mundo esfriou, entende? Mesmo com o calor dessa cidade úmida, o mundo, esse esfriou muito.

Nenhum comentário: