O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

3/08/2005

O Homem do Porco



Uma historinha pra boi dormir... se consegui!

Bem, há muito tempo atrás, numa fazenda não muito animada, o Sr Feudal matou - quase que sem querer - o seu criado, Alfredo Agulha, que criava dos seus porcos premiados.

Foi assim, Alfredo disse pro Sr Feudal que a porca Julieta estava parindo. O afoito Sr foi correndo assistir o nascimento da cruza de Romeu e Julieta em um parto quase sheiquisperiano... Porem, Julieta não resistiu ao nascimento do seu trigésimo nono porquinho e morreu exausta de tanto colocar porquinho no mundo;

- Porcaria!!! - berrou o emburrado Sr - A minha mais amada porca morreu...
- Como assim Sr.? A Dona Caran ainda ta viva... - tentou acalmá-lo o finado Alfredo
- Cale-se imbecil!!! - nervoso, Sr Feudal partiu para cima de Alfredo Agulha - A minha porca preferida sempre foi a Julieta e você a matou!!!
- Eu?! - responder assustado o pobre empregado, e, num rompante de fúria animal, Sr Feudal bateu em Alfredo com os 39 porquinhos... O pobre serviçal assustado, não resistiu a tanta porcada e morreu ali, junto com a Julieta e seus 39 filhotes. Ainda em cólera, Sr Feudal arrastou os corpos e os enterrou no meio do milharal.
- Da terra veio, pra terra voltará - cuspiu na cova rasa - seus adubos nojentos!!! De agora em diante, só eu cuido dos meus porquinhos... - depois da ultima pá de terra, olha pra cima e comenta tranqüilo - Preciso amar uma nova porquinha... - e assim foi ele tranqüilo para a casa da fazenda, se lavar e dormir...

Mas tarde, começou a aparecer corvos nos campos de milho e o Sr Feudal não gostou nada disso. Como assim, dividir os milhos premiados dos seus porcos premiados com míseros corvos?! E assim, Sr Feudal catou as roupas velhas de Alfredo Agulha e com alguma palha seca, montou um espantalho medonho... Nervoso, ele foi até o campo de milho e o enfincou com muita fúria no campo de milho e a estaca entrou tão fundo que acertou o cadáver de Alfredo ainda em decomposição... e isso fez brilhar um pouco um dos botões de madrepérola enorme, que ele havia usado como olho do espantalho.

Aquele brilho atraiu uma Pia, uma ave que adora brilhos... essa pia foi até o espantalho e fez coco na cabeça dele... dentro das fezes havia semente de erva daninha, chamada coco de passarinho, que cresceu como cabelos loiros na cabeça daquele boneco estranho... e a raiz varou a terra chegando no corpo do empregado moribundo e sugando dela algum fluido vital e trazendo para o espantalho.

De noite, na calada da noite mesmo, o espantalho saiu de seu finco, irritado com tudo e todos e com sede de vingança! Partiu instintivamente para o curral e sentou no porco Romeu. Ali parto, repousava um corvo que, ao ver a bizarra cena, desceu até a cabeça do espantalho e gritou como louco agitando o já agitado Romeu, que rompeu as cercas do chiqueiro e saiu desembestado pela fazenda a dentro... Era porco berrando, era corvo berrando, era espantalho berrando e isso eram todas as noites... Os bichos não dormiam mais e tudo naquela fazenda ficou doido... Inclusive o Sr Feudal que, depois daquela noite, nunca mais dormiu... nem no dia de sua precoce morte.

O Homem do porco saiu por ai desembestado e barulhento. Dizem que ele parece nas fazendas e, se o Sr Feudal não deixar milhos e porcos premiados pra ele, é uma gritaria lancinante!!!

Taí. Explicado o nick e a estatua... Agora é só sara crescer um pouquinho para não ter mais como dormir de noite....

Nenhum comentário: