O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

11/16/2004

Lição de Humildade.



Fui apertado pela rua e quando entrai no elevador, soltei... que cheiro!!! Tudo que meu corpo podia expressar de podre vinha daquele ar que saiu quentinho de minha bunda. Estava sozinho, nem me liguei. Iria eu, até o último andar, com ele me mostrando o quanto sou reles, insignificante, um lixo e isso ia restabelecendo minha humildade. Ia me dando a chance de perceber que nada podemos fazer pra se sentir superior... basta um desses que todos descobriram que em você está cheio de ar fétido. Aí, lá se vai a peruca...

Calmamente sentia o cheiro e pensava em mim, como um ser que produz isso, até o elevador parar subitamente no quarto andar!!! Minha sorte foi que fui rápido, ou seja, mais rápido. Antes de a mão conseguir abrir a porta, eu havia apertado o botão do meu andar e o elevador se fechou... foram segundos que me salvaram do constrangimento de alguém abrir a porta, sentir o cheiro e olhar pra mim como se eu fosse o único ser humano que faz essas coisas. Ufa!!! Que alívio. Até gostei de ouvir meio entre dentes o "filha da puta", lá de fora....

Pude segui a minha viagem até meu andar, e perceber que o cheiro não findava. Se tornava sutil, mas se mantinha no ambiente de ar parado, do elevador... Não era perfume, era cheiro de gente, de estomago humano cheiro de vento que empurra excrementos... era o meu cheiro!!!

Sai do elevador e ele logo desceu... deve ter ido ao quarto andar, pegar o infeliz que jamais saberá quem deixou aquele cheiro pra ele. Pouco me importava, já me via mais humilde, porém, sem a menor vontade de assumir tal humanidade. Entrei em casa, feliz pela lição vivida num elevador. Tranqüilo por ter sido poupado até que, ainda na sombra da sala, escuto a porta da casa se abrir e, em passos rápidos, adentra na sala a Guria, com uma cara de pânico e nojo, e o nariz franzido;

A Guria - Aí, que ódio!!! Alguém peidou no elevador e eu tive que vir do quarto andar até aqui, sentindo aquele cheiro horroroso!! Vou até tomar banho... - volta-se para mim, com um tom desconfiado - O Senhor chegou agora?!

Eu - Quem, eu? Não... porque?! Ou melhor... - irritado - Ah!!! Isso lá é da sua conta, atrevida!?! Vai te catar!!!

E assim expressei mais uma vez, o quanto sou humilde com esses serviçais...

Nenhum comentário: