O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

11/28/2004

Eu e meus sonhos...



O R. veio aqui em casa, me chamar pra estudarmos um texto. Íamos montá-lo... Mas não dava pra ser aqui em casa, e nem na casa dele. Fomos pela rua então, A Procura de um lugar tranqüilo... Como se existissem lugares tranqüilos por aí... Mas era sonho, e em sonho existe.

Andamos e paramos numa praia linda, já era noite e tudo na praia brilhava. Andamos até uma caverna, que parecia iluminada por um poste de luz. Um bêbado vinha atrás da gente - ele nos fez andar até a praia numa de despistá-lo. Mas ele veio assim mesmo...

Eu e R. Sentamos na porta da Caverna... E era linda aquela pedra. Como Carvão... E começamos a ler o texto, tendo o mar como trilha sonora, o vento como efeito, o poste como luz e o bêbado como platéia. Foi divertido, mesmo assim... acho até que foi divertido por isso, porque tudo era simples, entende?! Como deveria ser o teatro...

Mas cansamos de estudar o texto, e resolvemos ir para a praia, e percebemos q tinham muitas pessoas nas ondas, mas não víamos direito, estava escuro... Parecia que todos estavam se divertido, e não havia ninguém na areia. Resolvemos então cair dentro d´água...

O R. foi rápido, e se mesclou naquelas ondas... eu fiquei curtindo um pouco e, quando ameacei furar a onda, vi descendo dela uma prancha azul - uma lindíssima prancha azul - que deslizava sozinha vindo parar nos meus pés... Eu a peguei, e fiquei com ela na areia, esperando o dono vir pegá-la. Eu amei aquela prancha. Mas queria devolvê-la, porque era o certo. Só que ninguém saia da água para reclamá-la...

Assim acordei eu. Solitário e morrendo de saudade do Teatro, de R. - que foi um ator que já se divertiu muito comigo em cena - da minha vida que passou... de um amigo, de um bom amigo...

Hoje, todos os meus amigos foram para uma festa, e eu fiquei sozinho em casa. Eles devem estar rindo e felizes com o Show e com a bagunça que eu - sem saber porque - na última hora, decidi não ir... Hoje liguei para um amigo antigo, e tentei marcar da gente passar juntos, essa tarde, pra conversar bobagens... mas ele não podia. Engraçado foi eu calcular que no domingo, as pessoas podem tudo, vejam vocês!!!

Hoje passei o almoço na casa de um amigo que me levou pra família dele, sabendo que estou sem a minha aqui... E hoje... Tocou meu telefone de noite, pra me avisarem que R. morreu... Mas eu havia sonhado com ele outro dia! - falei, já começando a chorar a dor da perda. Falei assim achando que um sonho pudesse transformar tudo em um ledo engano...

Mas só me restou o choro solitário, a ventania da rua, a tênue luz da lua - quando passava por um buraco de nuvens - e, um amigo aflito ligando agora pra me perguntar se o show já havia acabado... Pois é... acabou...

Nenhum comentário: