O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

8/17/2004

Fui a uma Festa no Sábado.


AndrogenoNossa, tava indo dormir aí me lembrei que tinha assunto, pode?! Pois bem, fui a uma festa no sábado, num mafuá dos infernos, cheia de gente estranha e bla bla bla... até porque, isso não vem muito ao caso. Sou uma pessoa com um parafuso a menos - eu acho que sou um pato, lembra!? - por isso, só vou em lugares assim mesmo.

Era uma festa DDK - que é meio parecido com o velório de uma pessoa que todo mundo odiava - e, nessa, o defunto era um grande filha da puta mesmo, pois o som estava ótimo e acabei ouvindo o DJ dos meus sonhos, quero dizer, passarei a sonhar com as noites em que ele estará nas pick-ups de agora em diante, pois antes, nem sabia que existia tal gênio... Alias, quem é esse fodão? Vai saber...

Dançamos a noite toda e, o que me fez escrever sobre isso, foi uma coisa que vi. Ou melhor, duas coisas! Era um casal de dois andrógenos - não era um filme de Geoge Lucas, eram, na verdade, duas bichinhas que lembravam duas sapatas (ou vice e versa, só Deus sabe) e que sempre rola aquele pensamento de gato; "O que é isso? Dá pra comer?" Só que, como sou um pato, o pensamento passa a ser assim; "O que é isso? Pra onde corro!?" - andrógenos altos, magros e vestidos iguais duas árvores de Natal dos quintos dos infernos. Eles eram eleganterrrrremos e agiam como namoradinhos tristes. Quantas poses deprimidas e envergonhadas saiam daqueles dois, como se estivessem posando para a capa da revista, Velório Chic Magazinne. Eu adorei aquilo. Pensei muito sobre aquilo... e, não cheguei a conclusão nenhuma! Mas nem queria concluir nada mesmo.

É bonito ver as pessoas montando personagens e sustentando eles no meio da própria existência delas, é espiritual isso. Nos faz mais humanos, mas criativos e motivo de risos para o único animal que ri no universo; o pato!!!

Foi muito engraçado pra mim a visão daqueles dois postes romanticamente atrapalhados entre poses e chamegos, parados e apatetados, no meio de uma pista de dança fervendo de boa. Foi uma festa ótima...

Pena esses palcos estão cheios de vento, nesse país. Os atores acabam tendo que representar na vida... e, no fim da noite, M. vira-se pra mim e diz;

M. - Sempre tem aquelas "crianças doidinhas"*, né? Na nossa época era bem assim também... sempre tem... - olhou pra mim - Enfim, to meio cansado... vamos embora?!

Eu - Vamos. To morto de fome. - e lá fomos nós, quase morrendo de saudade dos nossos amigos que sumiram. Bons tempos que não voltam mais... por mais que a gente queira...

"Eu adoro quem faz LINHAS. Criar personagens para si é a melhor das artes. O problema é que depois dos 20 anos, qualquer linha fica ridícula e eu recomendaria um belo divã pro sujeito.
Tudo bem... Tudo bem. Confesso. Já fiz muuuuuita linha. Até 22, fiz a linha METALEIRA, depois PUNK e finalmente HIPPIE IMUNDA E MACONHEIRA, FREQÜENTADORA DE FORRÓ. Aí comecei a trabalhar e ganhar dinheiro e passei a fazer a linha TRAVECA, com brilhos, maquiagem exagerada, plumas, saltos e micro-saias que deixavam aparecer o útero. Nos últimos três anos tenho tentado fazer a linha MOÇA DE FAMÍLIA EDUCADA, mas não convenço de jeito nenhum. Como disse, depois dos 20, qualquer tentativa de fazer linhas fica ridícula..." - Shirley Rox


Note de chulé de blog
*"crianças doidinhas" - ele se referia a os mais abestalhadinhos, que levam a peruca muiiito a sério e saem paramentados com tudo de esquisito que encontram pela frente.

Nenhum comentário: