O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

7/11/2004

Teatro do Absurdo

1º desato... Conrado de joelhos ao pé de uma mesa descalça


Gosto e faço gosto de poder viver sem cosméticos no meu nariz. Assim, eu tento ao máximo esfregar os olhos sempre a meia noite, pois de dia tenho febre. Contudo, conturbado de minhas diligenciais, assumo a queima roupa, a culpa do ferro verde... era fungo. Por isso, sujei a boca de tomate seco.

Mas não me furo de estar presente na parada de dois cavalos baios... Abaixo-me nas ruas, de vergonha sim! Mas é de outras pendengas... A febre diária me limita.

Constantemente esfrio as mãos com gelo e esquento o nariz com cosméticos... e por isso ando desgostoso... Nem toda hortelã, é menta, e, nem por isso, passarei minha vida inteira nessa janela fechada para fora e aberta para os lados. Ah, juro que um dia pulo e isso vai ser de rachar!!! Nossa como faz calor dentro desse saco de dormir em pé... Jesus!!!

Nenhum comentário: