O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

6/03/2004

Fui ao Cemitério, beber agua e não achei...





Enqunto entrava, não achei nada de mais, não me importei com nada e nem me lixei... Mas ai olhei para o céu, e pesava como olhos em prantos e no bosque, das tumbas, olhos imaginarios pareciam estarem me vigiando, o chão brilhava humido e os corvos gralhavam escondidos nas copas das arvores frondosas, bem alimentadas, acredito que dos restos mortais dos corpos enterrados ali.

Um bosque entre tumulos, com estatuas vivas pelos limos e fungos, todos os agentes da morte presentes na santa paz, interrompida pela chuva, que veio como um choro desesperado, sem vento! Reta!

Uma pomba cortou nosso caminho, com um vôo baixo e com um galho seco no bico, deu-me um susto e me fez parar... de cada corredor, ouvia-se o rulhar das pombas que lembravam fantasmas medrosos querendo nos espantar.

Num momento, alguma coisa sorviu minha alma que dançava funebremente pelas folhas no chão e cantava strange fruit, foi quando percebi que a morte esta muito proximo e é muito mais real do que estar vivo.

A chuva, a arte, as nuvens, os corvos e o bosque, sem o vento, me deixaram frio como um defunto e leve como uma alma, mas, em momento algum, me fez sentir pena de quem ali mora... Talvez seja uma maneira interessante de morar em uma area nobre de Paris, sem gastar dinheiro... kkkkk, to brincando... hum...

Nenhum comentário: