O patinho tavu na lagoa... O Menininho tavu na canoa... Se eu fosse uma brabuleta.... Pegavu ele e butavu na maleta....

5/21/2004

Acontecimentos Estranhos


Pois outro dia, li la na Dona Esther, um post onde ela falava sobre o filme do filho dela – filme este que sabe la por cargas de memoria sapo boi, não deu pra ver, e que deve ser otimo, pois Dona Esther poes no mundo uma especie de Deckster – onde ela relata a passagem do tempo que não tem volta... Diz que é uma coisa que as mães não conseguem segurar e quando se dão conta; olha as rugas na cara dos filhos!

Sei que Dona O. sempre vem comigo pra ca, primeiro porque eu não viajo sozinho nem fudendo! Segundo, porque o maior interesse é dela, pois a gente vem aqui visitar a filha dela, mas isso não vem ao caso, o que importa é que, sempre saimos por ai, pra se perder pela cidade e acabar achando coisas e, na primeira vez, a uns dez anos atras, mais ou menos, todos tinham certeza que eramos mãe e filho; na segunda vez, viam-se duvidas em alguns que nos contactavam e agora, a certeza de que somos marido e mulher, reina! O que me fez ver que o tempo so passa para os filhos! Diaxo!

Mas é bom pacas saber que Dona O. se conserva em banho Maria... Deus deve curtir as mães como Dona O., Dona Esther, Dona Li - que é uma LINDA! - e assim por diante (Dona Tchela e compania, sintam-se na lista)

Agora, o fato mais delicioso dessa historinha infanto-juvenil é que, ver Dona O., e mesmo Dona A., brincando com aquele pedacinho de princesa que nasceu aqui, da um empurrão no meu espirito! Um empurrão doce dentro da maquina do tempo, quando minhas rugas eram diferentes e eram chamadas de dobrinhas, e fleshes rapidos de lembranças sensitivas dão a certeza de ter sido bem recebido nesse mundo, mesmo sentido todo aquele desconforto!

Enfim... O que me importa o tempo passando agora? Mal sabe ele, que venho prendendo-o na minha memoria afetiva!

Nenhum comentário: